As histórias às vezes têm dois finais

Esquece essa história. É como pai de santo que te falo: esquece. Só vai trazer tumulto, tristeza. Você já sofreu, não sofreu? Aparece coisa melhor. Com o quê que você trabalha? Olha aí. E com esse odú! Você pensa demais. Fica pensando pensando pensando, fica treze. Ossá, que é o odú que te acompanha desde a barriga da sua mãe, é regido por Iansã, mas só de olhar pra você eu já vi que a sua cabeça é de Oxum. Você parece uma bonequinha. É, mas perguntei pra Oxum se ela responde por você e quem respondeu foi Yemanjá. Uma briga. Sua cabeça tá dividida. Se você fosse fazer santo comigo, eu faria você de Oxum porque tá na cara. No máximo, Yemanjá Olossá, que come com Oxum. Quem for fazer sua cabeça precisa ser muito bom, precisa ver. Sim, pode ser uma pessoa ter a cabeça dividida por dois orixás femininos ou dois orixás masculinos. É raro, um em cem mil, mas pode ser. Tem gente que tem a cabeça dividida por Oxóssi e Ossain, Ogun e Logun Edé, Xangô e Ogun! Imagina, só querela. Então. Quando você vai viajar? Aqui deu Oxalá, lentidão. Essa tranquilidade tá te atrasando. As coisas passam e você não vê. As pessoas se interessam e você não deixa. Fica pensando pensando pensando. Você tá enfeitiçada. A planta quebra antes de florescer. Não tem sido assim? Precisa desfazer isso. Precisa arrumar num pano vermelho cinco velas, cinco búzios, cinco moedas, cinco tipos de legumes vermelhos, acaçá vermelho. Daí você fica no centro, depois leva tudo numa árvore e vai embora sem olhar pra trás. Não pode olhar pra trás, viu? Vai ver como seu ano vai abrir. Pode perguntar, bonequinha. Você gosta dele? Então vai pra briga. Se você for pra briga, seu santo vai com você. Mas não vai ser fácil. E nem rápido. Oxalá. Uma briga boa. Ele tá dividido. Tem feitiço nele também, ela que botou. Pergunta, pode perguntar. Precisa estudar muito. Precisa ir à África, aprender com o povo de lá, ir às cidades dos orixás, Oió, Osun, Ifé. Tem que estudar. Aqui no Brasil também. As histórias às vezes têm dois finais. Aquela que conta de Obá e Oxum com Xangô, por exemplo. Em um lugar é uma, em outro lugar é outra. Você sabe do que eu tô falando, não sabe? Tem que brigar, não fica tranquila não. Tá na sua mão. Pode perguntar. Você tá indo bem, mas iria melhor não fosse esse feitiço. Aparece na sua vida muita gente que não te entende, que não sabe do que você tá falando. Não é? Muito homem. Você sabe, não sabe? Por isso você disputa. Cê é assim, briga pelo que pensa. Cê tá certa, não tem que mudar por causa dos outros não. Tem que brigar, bonequinha, parar com essa tranquilidade que cê tá ficando pra trás, viu? Esse ano vai ser muito bom pra você, pra decidir essa querela na sua cabeça. Dia 22 tem festa no terreiro do meu pai de santo, é uma realeza, festa de Oxum e dos Ibejí. Anota o endereço, é em São Miguel, perto do metrô Arthur Alvim. Anota meu telefone também. De nada.

Anúncios

Sobre juliana bernardo

Poeta, taróloga e mochileira. Publicou Carta Branca e Vitamina (Patuá, 2011| 2013). Desde 2012, organiza saraus, debates e rodas de conversa sobre escrita e publicação. Coeditou a Coleção Edições Maloqueiristas (2014), que reuniu 26 títulos entre poesia, ficção e teatro marginal. Cursou Filosofia, na USP, e escreve sobre as medicinas da floresta e o candomblé. Também atua como terapeuta de ThetaHealing. Agende sua consulta de Tarot ou TethaHealing! orugidodoleaonaocabenajaula@gmail.com 11 966815823 Ver todos os artigos de juliana bernardo

Uma resposta para “As histórias às vezes têm dois finais

leu você?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: